Piadas de Português

Reunimos as melhores piadas de Português para você se divertir e dar muitas risadas.

No hospício

O pneu do carro do Manuel fura diante de um hospício. Ele desce e tira as porcas da roda, mas elas escorregam para dentro de um bueiro.
Um dos internos assiste a cena do lado de dentro das grades do manicômio e aconselha ao Manuel:
– Tire uma porca de cada uma das três rodas para segurar a que ficou solta, até chegar a um posto.
– Fenomenal! Muito boa idéia. Obrigado! Olhe, eu nem sei por que tu estás aí dentro.
– Eu estou aqui porque sou doido, não porque sou burro!

 

Receita médica

Sabes Joaquim, o doutor me disse para beber um pouco de suco de limão depois de um banho quente.
– E tu bebeste o suco de limão, Manuel?
– Que nada! Não consegui nem acabar de beber toda aquela água quente.

No Cinema 180 graus

Lançaram o cinema 180 graus em Portugal. Foi a maior festa na entrada para a primeira sessão.
Mas no fim do filme ninguém saía, aí Manuel, o dono, foi ver e estavam todos mortos…
Fez então uma segunda sessão, e no fim também estavam todos mortos…
Tentou uma terceira, e não deu certo, todos morreram… Aí, Manuel comentou:
– É assim não dá…vou ter que diminuir a temperatura…

Português tomando banho

Manuel está tomando banho, e grita para Maria:
– Ô Maria, me traz um xampu
E Maria lhe entrega o xampu. Logo em seguida, ele grita novamente:
– Ô Maria, me traz outro xampu.
– Mas eu já te dei um agorinha mesmo, homem!
– É que aqui está dizendo que é para cabelos secos, e eu já molhei os meus.

O pedreiro português

Um pedreiro português, no meio da obra, liga para casa e diz para a esposa, todo ofegante:
– Ora pois,Mulher, tu nem queiras saber… Escapei de uma boa, caí de uma escada de quinze metros de altura.
– Ai meu Deus, Manoel. E tu estais muito machucado?
– Não… Nem um pouquinho. Eu ainda estava no primeiro degrau!

Portuguesa Namorando

Recém-chegada de Portugal, Maria está no carro com o namorado brasileiro.
Beijo pra lá, beijo pra cá e lá pelas tantas…
– Não quer ir para o banco de trás, amorzinho? – diz ele, visivelmente excitado.
– Para o banco de trás? Nunca, Roberto!
Os amassos continuam, mais beijos, mais apertos, mais amassos e…
– Não quer mesmo ir para o banco de trás? – repete o namorado, ainda mais tesudo.
– Ora que pergunta, Roberto! Não, não quero!
O coitado do namorado, já meio desnorteado, continua na esfregação, na beijação, até que…
– Tem certeza de que não quer ir para o banco de trás? – pergunta ele, desesperado.
– Mas que coisa, Roberto! Já te disse que não! E NÃO!
– Mas por que não quer ir lá pra trás, Maria?
– Raios, porque prefiro ficar aqui com você, Robertinho, bem juntinho de ti!

No jogo de futebol

O Manuel e a Maria vão ao jogo de futebol.
Chegam super atrasados porque a Maria demorou séculos se arrumando.
Quando entram no estádio, está para começar o segundo tempo.
O Manuel pergunta a um dos torcedores:
– Quanto está o jogo?
– Zero a zero.
E a Maria: – Estás a veire?
Chegamos a tempo!

Economia no transporte

Óh, Maria, estou a morrer de cansaço…
Vim correndo atrás do ônibus e, sem nunca o alcançaire, acabei chegando até aqui… meu consolo e que economizei vinte cruzados…
– Mas tu és burro mesmo, hein, Manuel?
Por que não correste atrás de um taxi? Terias economizado muito mais!

Português de sorte

Dois portugueses pedalavam suas bicicletas pelo campo. Um deles pergunta:
– Onde conseguiste essa tua magnífica bicicleta? O segundo respondeu:
– Estava eu a pé, caminhando ontem por aí, quando surgiu uma deliciosa rapariga, a mais linda que já vi, um monumento, com esta bicicleta.
Ela atirou a bicicleta ao solo, despiu toda a roupa e disse-me: ‘Pegue o que quiser’. O outro:
– Ó pá, escolheste bem. Provavelmente a roupa não te serviria.

Em Lisboa

Em Lisboa, após um incêndio num pequeno prédio, os bombeiros, verificando os destroços, encontram apenas um morto.
E justamente o avô do Manuel, que estava de cabeça para baixo, com o dedo indicador apontando para um dos cantos do ambiente.
Ao seu lado, um extintor de incêndio, com a seguinte instrução: Em caso de incêndio, vire de cabeça para baixo e aponte para a chama.